ESA anuncia contrato milionário para construir sonda solar

Cerca de 400 milhões de dólares serão gastos em satélite que vai estudar de perto propriedades solares que afetam a vida na Terra

a Espacial Europeia (ESA) fechou nesta sexta-feira um contrato de 400 milhões de dólares com a empresa britânica Astrium UK para construção de um satélite que vai realizar estudos mais detalhados do Sol. A sonda Solar Orbiter tem previsão de lançamento para janeiro de 2017 e ficará a apenas 45 milhões de quilômetros do Sol, a uma distância menor do que Mercúrio, o planeta mais próximo, que fica a 58 milhões de quilômetros de distância.

Um dos principais objetivos do novo instrumento é estudar como funciona a heliosfera, uma espécie de bolha magnética formada por ventos solares que se estende muito além do Sistema Solar e pode interromper comunicações feitas através de satélites.

 

Saiba mais

HELIOSFERA
A heliosfera é a imensa bolha magnética que contém o sistema solar e ainda inclui os ventos solares e todo o campo magnético solar. Estende-se além da órbita de Plutão.

O cientista encarregado do projeto, Daniel Mueller, afirmou que a sonda terá que resistir a um calor solar dez vezes maior do que é sentido na Terra. «O satélite terá que ser equipado com um escudo maciço para suportar cerca de 500 graus Celsius no lado voltado para o Sol e deverá ter temperatura controlada do outro para proteger seus sensíveis equipamentos eletrônicos», explica Mueller.

O contrato com a Astrium UK, empresa subsidiária da gigante EADS, da área de defesa, é um dos maiores já feitos entre a ESA e uma empresa britânica. O Solar Orbiter é uma missão liderada pela ESA com participação da Nasa, que contribuirá com equipamentos e com o lançamento da sonda.

(Com Agência France-Presse)

 

 

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *